domingo, 25 de outubro de 2009

Silêncio.

Nada mais falou, resolveu calar pq qualquer palavra dita poderia estragar o momento. Ouviu o último suspiro, sorriu em favor e pensou naquele instante que nenhum dos dois precisariam de palavras. Isso seria amor. A compreensao do calar, o viver do momento em que se está apenas junto. E nada mais. Pq o nada, por vezes, é tudo. E aquele momento, como tantos outros que já viveram, apesar de aparentemente ausente de emoções, trazia em si tanta importancia quanto todos os outros. O que importa nao é a aparencia, mas o que se sente. Ninguém pode esconder de si o que se passa por dentro. Adia-se, esconde-se. Mas nunca por muito tempo. Quem somos é sempre reflexo do que vivemos. Como a teoria da tábula rasa, sabe? De que somos vazios ate o viver. Entao cuide bem de seus proximos passos. A todo tempo nos é oferecido caminhos para mudar o que incomoda, consertar o que nao é certo, buscar o que se sonha, realizar o que se busca. É dificil, por vezes, olhar pra si e reconhecer que, na verdade, nao somos tao bonitos e perfeitos e passíveis de desacertos. Não. A verdade sobre o que não queremos ver em nós, pode doer sem duvida. Nada tem a ver com o que esperam e com o que esperamos de nós mesmos. E naquele momento, calavam, pq estavam voltados pra si mesmos. Conhecendo os monstros que os habitavam e que podiam, há qualquer tempo, emergir e estragar aquele momento. Sabiam que nao se julgavam e que aceitariam as vírgulas que tbm o faziam ser o que eram. Qe discutiriam e se resolveriam pq se respeitavam e se amavam, a despeito de tudo. Mas calaram. E calaram pq escolheram o sorrir. Calaram pra tbm calarem os monstros.

3 comentários:

Betânia disse...

Nossaaaa! Perfeita! principalmente o final! "Calaram para também calarem os monstros". Puxa!

Paulo Trigueiro disse...

cara, adorei teu blog. sempre que eu acho que não tem mais gente que pensa pora aí, quando já tou chegando no fundo, afogado, vejo algo interessante. parece que pisei, peguei impulso e - eta! - cheguei à superfície. em outras palavras: parabéns :)

Paula disse...

um obrigado aos comentários. me deixam felizes =)