quarta-feira, 18 de novembro de 2009

MG

Bem, é certo que atraía novidades e tipos interestaduais. Tinha um encanto brejeiro, que atraía, por assim dizer, por espanto - qta inocência nesses dias!! Sua amiga pegava o canudo e fazia um olhar sedutor, enquanto ela apenas sorria e dizia: cmg nunca vai dar certo!
Minas Gerais esconde pessoas assim: olhos pequenos admirados. O nome é de sertanejo, falta a dupla, eita apareceu, nada falta mais!! "Preferimos Brahma a Skol! Eita, ó lá, o cara se equilibrando na corda! Tem sempre disso aqui? Vai cair!Noossa! Vcs colocam coentro em tudo aqui. Sabe um lugar bom pra almoçar, sem coentro?!". A noite passava e caía na risada: sim, era possível sorrir. Pessoas despertam isso, são o tempero disso, origem, meio e fim. Subiu pro banheiro com a amiga sedutora - a que ficou perguntou: é aquela? E ele disse nao. É a outra e ele apenas sorriu. Ao voltar, sabia-se a escolhida. E já sabia disso bem antes de precisarem de palavras. Olhares e sorrisos nao mentem. A noite era um encanto e deixava cair magia. Ela abria os braços em pensamentos. Em ação, encostou-se na parede. Do lado, um novo alguém. Ainda desconhecido, revelando encantos. Transparecia em pequenos detalhes. Nas coisas simples. Pessoas se revelam em gestos pequenos. Era observadora, notou. "Cuidado com a rua!" Puxava ela pra mais perto, enquanto os carros, tantos, passavam, bem proximos. E ela distraída. "Cuidado com a rua", olhando pro galego que já postava-se do seu lado, cheio de olhares. E ela distraída. E riam daquele pequeno segredo novo. Ao desperdir-se um até logo. Ao ir embora, a ligação. Ao deitar-se a mensagem. "Saudades". Sim.

Um comentário:

inquietudes disse...

que coisa lindaaaaaaaa!!!

adorei! haushaus..

beijos!!