quinta-feira, 13 de março de 2008

Texto pra mulher, moça e menina

Existe uma certa fragilidade nas mulheres, que poucas pessoas entendem. Falam alguns de estranheza e sim, os que mais estranham são os que estão próximos o suficiente pra notar que de um dia pro outro, tudo vira e revira de cabeça pra baixo. De repente. Sem mais, nem menos.

Aí começa: vontade de mudar de cabelo, mudar os móveis da casa, arrumar o guarda roupa, fazer faxina, cozinhar, mergulhar no trabalho, prometer que vai mudar de vida, viajar, fugir... fugir e fugir de qualquer coisa que a lembre q ela, sabe-se lá pq, nao está tao bem assim.

Nao quero falar de tpm, deixo isso pra outra seara. Nao é coincidencia que grandes "surtos de estranheza" surgem em períodos que os hormonios borbulham e explodem dentro do fragil corpo da mulher (alguns nem tao frágeis assim). Mas nao vamos convocar a medicina. Deixemos que esse texto caminhe, lado a lado, com o dia a dia. Com o hoje, por exemplo.

Se vc mulher, quiser entender e buscar motivos pra aquele negocio que aperta o peito que sente, digo logo que vai enveredar por vários caminhos e, encontrar vários motivos pra estar triste. Motivos que, outros dias, até passariam despercebidos, de tao pequenos, mínimos, que são. Motivos que você vai encontrar apenas pq parou pra procurar. Motivos que você vai precisar ter por perto, pra se explicar ou pra explicar os outros o porquê de todo aquele dramalhao. Ou você vai chorar, sofrer, se descabelar e se acabar, por nada?
(É pra responder essa frase que você procura os motivos.)

O que posso dizer? Tudo poderia ser tao simples. Você nao carregaria por dentro essa insatisfaçao com tudo e com todos. E nem uma linha diferente na camisa de alguém, causaria estranheza. Você nao iria pensar em matar alguém ou quebrar alguma coisa. E continuaria sorrindo das mesmas piadas de antes, em vez de achá-las ultrapassadas.

Mas aí vem: aquela sensaçao de desconforto, de sentir-se a pior pessoa do mundo, de achar que tudo que você fala é besteira e de pensar, de repente, que nao é suficiente pras pessoas que você ama. De sentir-se pequenininha e cada vez menor. De imaginar que o mundo todo seria mais feliz se você, apenas sumisse. Ou ter ciúme da sombra da mulher que nem ao menos existe.

Caso nunca tenha sentido nada disso, parabéns. Poucas mulheres têm essa facilidade de viver a vida, sem esse peso, que hormonios bagunceiros, terminam fazendo-a carregar por todo o corpo.
Nunca vão saber o que é se sentir infeliz, quando, na verdade, nao poderia está mais feliz na vida. Nao terao que dá muitas explicações pra mãe, pai e namorado. Viverao comuns e em harmonia com tudo e todos, sem o desafio de tentar viver comum e em harmonia com tudo e todos, mesmo quando seu organismo pede que você se atire da ponte mais próxima.

Mas, caso nao... um conselho que dou, é o que eu aprendi, quando, de repente me peguei por aí, nesses surtos de mulher: é apenas uma batalhinha que surge de vez em quando. Parar e lembrar que o inimigo são apenas três: tu, tua cabeça e teus hormonios. Teus pais, amigos e namorado te amam e estão por perto porque querem estar ali. Você nao é um monstro, seus dentes nao sao tronchos e tua opiniao importa sim. E para de procurar infelicidade. Por mais que pareça óbvio e claro que você é infeliz (pq chora e chora e chora e sofre), lembre-se que nada disso é real e tua infelicidade vive num mundo fantasioso que você convoca algumas vezes, sem querer. É descer da nuvem de infelicidade e entrar no mundo do sorriso. O de sempre, o comum, o real.
Vem funcionando comigo. Boa sorte a todas. Até um proximo texto.

(em homenagem a minha amiga Vans)

Obs: nem de longe esse blog vai exibir, novamente, textos de auto-ajuda. Venham procurando contos. É o que minha mão gosta de escrever.

4 comentários:

Tails disse...

"aquela sensaçao de desconforto, de sentir-se a pior pessoa do mundo, de achar que tudo que você fala é besteira e de pensar, de repente, que nao é suficiente pras pessoas que você ama. De sentir-se pequenininha e cada vez menor. De imaginar que o mundo todo seria mais feliz se você, apenas sumisse. Ou ter ciúme da sombra da mulher que nem ao menos existe."


sempre vem, sempre. =~~
e eu vou sempre achar q é verdade. =/

mas não é, né, poulinha? =~
adoro! =*

Lete disse...

amigaaa!!! hahaahah
perfeito!
ave maria,mas mulher passa uma semana do mês estranha mesmo!
kkkk
o engraçado é que,mesmo qd a gente tá na fossa nesses dias, fazendo tempestades em copos d'agua e procurando sarna para nos coçar, temos consciência de que nada é tão ruim quanto parece, que são só hormônios, TPM, e assim q a menstruação chegar tudo vai amanhecer azul e bonito novamente, como sempre foi,ou como tinha q ter sido! kkkk
como sempre,apavorando! beijos amor! te amo!

vancostaa disse...

=~
q lindo, amor!

Stella disse...

Adorei
conseguiu me envolver no texto e me identifiquei!!
stella